Fazer uma festa de casamento ou investir em um imóvel?

Decisão difícil, não é mesmo? A verdade é que não há resposta certa. Cada casal tem um perfil e sua própria realidade, e a escolha dependerá muito do perfil de cada um. Mas se você e seu companheiro(a) ainda se sentem confusos, não se preocupe! Preparamos algumas dicas!

Festa de casamento ou comprar um imóvel: o que considerar

Não tem jeito: como em tudo na vida, existem alguns fatores que pesarão para cada um dos lados nessa balança. O segredo para encontrar a resposta vai ser entender qual pesa mais para o casal ou, quem sabe, encontrar o ponto de equilíbrio.

Para começar a avaliar a sua balança, vamos primeiro listar os fatores que entram nela. Você já deve estar familiarizado com alguns deles, já que listaremos aqui itens gerais que, normalmente, interferem em todos os casais.

Contudo, é importante botar tudo no papel para que vocês passem juntos por cada um. Dito isso, vale lembrar que alguns fatores mais pessoais podem ficar de fora da nossa lista, mas vocês devem avaliá-los da mesma maneira. Vamos lá:

  • bases religiosas: não dá para negar que, mesmo que em menor número, o motivo de muitos casais fazerem uma cerimônia são as bases religiosas. Se essa também é uma realidade para vocês, isso, com certeza, pesará a balança para esse lado;
  • pressão social: outro fator impactante é a pressão social. É comum que a maior parte dela venha da família, especialmente na figura dos pais dos noivos, mas amigos também podem ser uma forte influência. É claro que o casamento deve ser algo para vocês, mas vale considerar até onde a pressão de pessoas queridas pode impactar nessa escolha;
  • estabilidade financeira: a festa de casamento acontece só por uma noite, e por mais que forneça lembranças que vocês levarão para o resto da vida, não pode ser considerada um investimento. Se buscar a estabilidade financeira para vocês for um forte objetivo, talvez, a cerimônia não seja o caminho certo a seguir;
  • segurança para o futuro: da mesma forma, quem quer garantir segurança para o futuro vai querer considerar com mais afinco a possibilidade de comprar um imóvel. Por ser um bom investimento, o imóvel pode ajudar a garantir a tranquilidade nos tempos que virão;
  • vontade do casal: por fim, a vontade de vocês deve ter um grande peso. Vocês sempre sonharam em celebrar esse momento? Ou sempre sonharam em ter o próprio lar e montá-lo do jeito que quiser? Lembrem-se de conversar e tomar uma decisão que considere a vontade dos dois.

Planejamento financeiro: a base de tudo

Depois de passar por todos os itens acima — e mais aqueles específicos da situação de vocês —, já dá para ter uma ideia do que é mais importante para o casal. Mas, como qualquer mãe gosta de lembrar ao filho, “querer não é poder”, e no fim das contas a base para realizar qualquer um dos dois sonhos parte do velho e suado dinheiro.

É por isso que fazer um planejamento financeiro é essencial para tomar a decisão certa. Mas, principalmente para quem nunca se preocupou com a organização das finanças, essa parte pode ser um pouco difícil.

Por isso, abaixo mostramos como fazer um planejamento financeiro do casal e entender quais sonhos cabem dentro dele. Veja só!

Despesas fixas do casal

O primeiro passo é pensar nas despesas fixas do casal. Essa parte deve ser dividida em duas: despesas antes e após o casamento.

  1. Antes de casar

O planejamento financeiro consiste basicamente em anotar tudo que vocês têm de renda e subtrair tudo aquilo que têm de gastos em um mês. Não é preciso dizer que o resultado deve ser positivo.

Antes do casamento, portanto, vocês devem considerar os gastos e renda de cada um individualmente, entender o que vocês têm de economias e reservas (caso tiverem) e verificar o quanto poderão separar mensalmente para destinar ao casamento ou à compra do imóvel.

Considerando a data da união, quanto vocês conseguirão ter destinado a esses objetivos? Ao colocar tudo no papel, será possível enxergar também lugares onde poderão fazer alguns cortes para realizar o grande sonho.

  1. Depois de casar

O básico do planejamento continua o mesmo, contudo, agora as despesas são mútuas. Considerem os gastos para manter a casa de vocês, seja ela alugada, para quem optou assim, ou comprada.

Vocês podem pegar referências de gastos de acordo com o tamanho do imóvel em que pretendem morar e com algumas dicas de conhecidos.

Tentem fazer uma projeção mais real possível, lembrando de pensar em possíveis gastos pós-casamento — como algum fornecedor que ficou faltando pagar ou as parcelas de um financiamento imobiliário.

Custos da festa de casamento

Se casar sempre foi o sonho de vocês, talvez já estejam familiarizados com os custos de bancar uma festa. Caso contrário, separamos os principais itens que vocês devem orçar abaixo:

  • buffet: esse é um dos maiores gastos e, por isso, deve ser um dos primeiros a ser considerado;
  • salão de festas: vem logo depois do buffet na lista de maiores gastos;
  • igreja: para quem tem esse sonho, é preciso lembrar que casar na igreja também tem seus custos;
  • decoração: dependendo do gosto dos noivos, a decoração pode ultrapassar até mesmo o buffet;
  • convites, fotos e filmagem: itens menores, mas que fazem uma grande diferença na soma;
  • taxas de cartório: essa é válida mesmo para quem não quer fazer uma grande festa e podem não ser tão baratas quanto você imagina, principalmente se vocês optarem pela comunhão universal de bens;
  • vestido e trajes do noivo: outro item que pode parecer pequeno, mas pode pesar no orçamento;
  • música: uma boa festa, pede uma boa música, e vocês devem pensar no que pretendem contratar: banda ou DJ.

Essa é só uma lista inicial. Com o tempo, vocês poderão ver que há muito mais a acrescentar. Por isso, pesquisem e tentem estimar o custo total da festa da forma mais precisa. Vale também acrescentar uns 10% a mais já que, em muitos casos, o budget inicial pode ser estourado.

Investimento para comprar um imóvel

Claro que o valor do imóvel pode variar muito dependendo do que vocês querem ou precisam. Número de quartos, vagas de garagem, localização etc. Tudo isso pode fazer o preço de uma casa ou apartamento subir ou descer.

Por isso, é importante definir o que é o imóvel ideal para vocês e começar a pesquisar os valores. Nessa hora, o apoio de uma boa imobiliária pode fazer a diferença. Para quem precisa de financiamento, eles também poderão aconselhar sobre as melhores opções e guiá-los sobre as minúcias do processo.

Pode parecer um pouco trabalhoso, mas depois dessas dicas, vocês poderão ter uma boa ideia não só da escolha certa para o casal — comprar um imóvel ou fazer o casamento —, mas também de como efetivamente colocar isso em prática.

5 dicas de como usar as cores para renovar o astral da casa

Seja usado para descanso ou atividades de lazer com aqueles que amamos, nosso lar é um recanto único e especial. Portanto, merece todo um cuidado com o uso de cores novas e elementos decorativos. Por isso, falaremos de cores para pintar as paredes e também de elementos decorativos.

Já procurou saber quais as melhores cores para decorar o lar? Confira algumas ideias de cores para renovar o visual de cada cômodo da casa!

1- Saiba por que usar cores para decorar

Há momentos na vida que precisamos do benefício da mudança e da renovação e isso pode estar relacionado com a composição das áreas da moradia. Uma decoração bem planejada faz cada cômodo da nossa casa ter um visual único e personalizado, já que alia o bom gosto com as preferências pessoais.

O que transforma os espaços internos em áreas habitáveis de qualidade, entre tantos itens importantes, são as cores utilizadas. Embora pareçam simples elementos de decoração, elas têm o poder de transmitir diferentes sentimentos. A partir de cada tonalidade escolhida, é possível garantir efeitos com objetivos bem específicos e que vão muito além de gosto pessoal.

2- Conheça as cores da tendência

Para os mais antenados e dispostos a mudar de acordo com a tendência, indicamos as cores da tendência! Apresentamos o rosa quartz e o azul serenity, duas tonalidades clarinhas e super simpáticas para qualquer ambiente da sua casa.

Ambas as cores representam a igualdade de gênero e têm a capacidade de adicionar tranquilidade e bem estar onde estão presentes. Perfeitas para casais que desejam um refúgio tranquilo após a correria diária!

O rosa quartz é uma cor delicada e esbanja atitude, não competindo com a atenção do ambiente, sendo ideal para paredes inteiras ou elementos de apoio, como mobília, almofadas e objetos. Já o azul serenity, lembra o aspecto suave de um céu limpo e iluminado, podendo estar presente em espaços para o relaxamento, como salas e ateliês.

As duas cores juntas

Se quiser usar as duas cores em um mesmo ambiente, vá em frente! Só tome o cuidado de complementar o visual com elementos em tons mais escuros. Quando usadas sozinhas, a cores lembram o estilo retrô com toda a sua delicadeza, sendo ideais para compor a decoração de espaços infantis, como os quartos dos bebês.

2. Dedique uma combinação única para cômodos especiais

Além das cores preferidas mencionadas, você pode compor com outras boas apostas do ano. São elas o amarelo, cinza e diversas tonalidades de azul.

Se você tem um cômodo preferido e quer transformá-lo com as cores, aposte na predominância de bases acinzentadas (nunca saem de moda) ou em tons de azul escuro. Este último promete ser o substituto perfeito para o preto e fica muito bem quando combinado com cores mais vivas, como o amarelo.

Amarelo e vermelho

A vantagem do amarelo é que também pode estar presente na iluminação trazendo aconchego e calor para o espaço interno. Em alternativa à mobília escura, você pode abusar das tonalidades vermelhas e do marsala, que mantêm seu destaque no design atual.

3. Capriche nos detalhes e acabamentos

Se você optar por manter a tendência das cores neutras nas paredes, poderá se dedicar aos detalhes em maior quantidade. Em espaços domésticos, elementos de acabamento são importantes para trazer o toque caseiro e exclusivo de cada morador.

Aposte em sancas mais lisas e modernas, evitando qualquer rebuscamento que torne o visual pesado. Se quiser quebrar a monotonia das paredes, espiche o rodapé.

Hoje, existem modelos maiores no mercado (entre 15 e 20cm de altura) e disponíveis em materiais de tonalidades próprias, como a madeira e cerâmica. Outra possibilidade para trazer mais elementos no espaço é investir em uma iluminação indireta com diversos pontos sobre o forro. Você consegue esse efeito com a instalação de spots e cordões luminosos que, além de auxiliarem na decoração, garantem conforto visual e sofisticação ao espaço.

4. Use tecidos com textura e estampas coloridas

A dica é não se prender ao padrão do momento, mas ter conhecimento de que nem todas as tonalidades que lhe agradam ficam bem naquele cômodo.  Hoje, a principal vantagem de manter paredes em tons pastel é que você pode abusar das texturas e estampas coloridas nos tecidos.

Cortinas e tapetes pedem cores quentes para ambientes rústicos, enquanto as cores frias proporcionam um visual mais limpo e contemporâneo. Entre as estampas, as listras são preferência atual para compor com almofadas e estofados de variados modelos e tamanhos.

5. Complemente com móveis e elementos decorativos

Para quem curte objetos decorativos, vale usar itens importantes da família na composição do espaço, principalmente nas paredes. Quadros, esculturas, artes e folhagens são indispensáveis em um ambiente doméstico, pois ajudam a trazer o toque pessoal dos moradores para cada cômodo.

Se a planta da casa é mais livre, trabalhe a transição de diferentes áreas com mobiliários de apoio, como poltronas e bancadas. Tanto para os acessórios de decoração quanto para os móveis, a tendência é apostar nos materiais de acabamento metalizado e levemente brilhante. Em conjunto com as cores mais suaves, eles garantem requinte e sofisticação para qualquer espaço da casa.

Casa ou apartamento: o que é melhor para você?

Cada um tem o seu gosto, isso não é nenhuma novidade. Mas na hora de decidir se prefere casa ou apartamento, é importantíssimo decidir aquilo que é melhor para você e sua família. Quer ajuda na decisão? Confira aí!

As diferentes liberdades

Uma das coisas que faz com que as pessoas geralmente não se adaptem à vida em apartamentos é a rigorosidade das regras de condomínio — ou mesmo um síndico muito exigente. Normas como silêncio após certo horário, restrições ao uso das áreas comuns, limite de convidados, participação obrigatória em reuniões de condomínio, dentre outros, podem incomodar extremamente àqueles de espírito livre. Nas casas, ao contrário dos apartamentos, os vizinhos costumam ficar mais distantes, além de as regras serem estabelecidas unicamente por quem vive no recinto — respeitando, obviamente, o convívio em comunidade. Assim, se privacidade e liberdade são muito importantes para você, considere adquirir uma casa.

Os tipos de vizinhança

Se por um lado ter vizinhos muito próximos pode te causar alguma dor de cabeça, é muito mais fácil estabelecer laços de amizade. Se você tem filhos pequenos ou adolescentes, eles com certeza gostarão do convívio dentro de um condomínio, já que podem aproveitar as áreas de lazer para interagir com outros moradores de mesma idade. Caso você seja uma pessoa comunicativa, tenha facilidade para conviver harmoniosamente e fazer amizades, a interatividade é um ponto forte nos apartamentos, não tão presente nas casas.

O conforto e a praticidade

Famílias grandes costumam preferir as casas aos apartamentos, uma vez que são disponíveis mais cômodos e área externa nesse tipo de imóvel, o que resguarda o espaço individual de cada um.  Os apartamentos, por serem geralmente menores, são mais práticos para aqueles que não querem se preocupar muito com arrumação de grandes espaços e manutenção das coisas no lugar.

Contato com ar puro

Há pessoas que não abrem mão do contato com a natureza. Gostam de cuidar de plantas, de ter animais de estimação, de olhar o céu, de praticar esportes ou mesmo apenas de poder relaxar ao ar livre. É uma necessidade ter espaço aberto para se refugiar. Se você é uma dessas pessoas, morar em apartamentos não é muito indicado, já que o ambiente fechado pode se tornar algo negativo, transmitindo ao morador uma sensação de restrição.

Maior segurança

Os apartamentos costumam ser mais seguros que as casas, uma vez que contam com mais aparatos de segurança, geralmente, dispõem de porteiro, podendo ainda contar com o fato de que qualquer perturbação alertará aos vizinhos. A única alternativa para as casas quanto a segurança proporcionada pelos apartamentos é um condomínio residencial fechado.

O condomínio x a manutenção

No plano financeiro, as casas costumam ter menos despesas no início, já que quem mora em apartamentos precisa pagar a taxa de condomínio, que pode chegar a valores absurdamente altos. Por outro lado, com o desgaste, a casa passa a precisar de manutenção, algo que os moradores de apartamento não precisam se preocupar, uma vez que isso já está incluso na taxa de condomínio. Desta forma, os gastos com condomínio e manutenção da casa acabam sendo muito parecidos.

6 dicas imperdíveis para decorar um imóvel novo

Chegou a parte divertida da casa nova! Decorar. E essa é uma hora em que liberamos toda a nossa criatividade para escolher o melhor para nós.

Por isso nós preparamos 6 dicas onde você vai aprender por onde deve começar a decoração dele.

Dica 1: Escolha um tema

A primeira dica imperdível para que você possa decorar a casa nova é escolher um tema para o seu lar. Retrô? Minimalista? Decoração industrial? Colorido? Defina o estilo que o imóvel terá para que você tenha um norte para onde seguir nas próximas dicas.

Dica 2: Móveis planejados

Além de valorizarem o imóvel, os móveis planejados são feitos para otimizar ao máximo os espaços onde serão instalados. Eles são fáceis de limpar e encaixam perfeitamente em cada cantinho que você precisar.

Outro benefício dos móveis planejados é a quantidade variada de acabamentos, o que permite uma decoração personalizada de acordo com o seu perfil. Escolha entre laminado de alta pressão (fórmica), vidro, laca, metacrilato, tamponamento, madeira natural, couro e gofrato (pintura texturizada fosca que não tem imperfeições).

Existem opções e preços de móveis planejados para todos os gostos e bolsos. Basta procurar por uma marca de confiança e conversar com o projetista para que ele execute o projeto do jeito que você quer.

Dica 3: Lojas de móveis e decoração

As grandes lojas de móveis e decoração são outra opção para que você consiga decorar o seu imóvel novo. Nessas lojas você encontra ambientes já montados e decorados para ter uma noção daquilo que você gosta e deseja para a sua nova casa. Observe como tudo é disposto e encontre soluções para o seu lar.

Dica 4: Reaproveite os móveis de família

Alguns móveis de família tem tanta história para contar, não é mesmo? Aproveite alguns móveis, faça uma boa reforma neles e dê continuidade à tradição da sua família. Os estilos vintage e retrô estão em alta e os móveis também podem ajudar a contar histórias da sua família. Eles podem combinar bem com outros projetos, sendo peças-chaves.

Dica 5: Contrate um profissional

Um designer de interiores ou um arquiteto podem te ajudar a pensar e encontrar uma solução para a decoração do seu imóvel novo. Profissionais capacitados para otimizar e decorar ambientes, eles pensam em soluções para o seu dia a dia e conseguem criar atmosferas que têm tudo a ver com o que você deseja.

Existe também a possibilidade de você já ter em mente todo o projeto do seu apartamento, porém não deseja fazer em uma loja de móveis planejados. Para isso, chame um marceneiro e elabore com ele o projeto que você deseja. Quem gosta de uma decoração mais rústica e original pode recorrer ao marceneiro.

Dica 6: Montando aos poucos

Você não precisa decorar o apartamento inteiro antes de se mudar. Faça a decoração ambiente por ambiente, ou então compre o básico para conseguir estabelecer a sua rotina em casa e aos poucos, quando se acostumar com ela, identifique oportunidades para decorar e estruturar o seu imóvel.

Como encontrar a iluminação certa para o seu quarto

A iluminação é um dos fatores muito importantes na hora de decorar o quarto. Por isso, separamos algumas dicas para você acertar de mão cheia!

A importância da iluminação

No passado, as residências eram projetadas para ter interiores abundantemente cheios de luz. Agora, muitas construtoras preferem colocar outras questões de projeto antes da iluminação de ambientes – com exceção das propostas sustentáveis. Por consequência, os cômodos das casas modernas recebem menos os raios do sol.

A vantagem da luz natural para a arquitetura e design de interiores é que ela faz os ambientes parecerem mais amplos, limpos e claros. Devido a isso, há uma maior economia de energia elétrica e um aumento da qualidade de vida das pessoas.

Portanto, esse tipo de iluminação sempre deveria se fazer presente, não importa o tamanho da casa. Só que, às vezes, nem isso é o bastante.

Em alguns casos a luz ambiente é impossível. Nesse caso, entra em cena a luz elétrica. Em um ambiente mais íntimo, como um quarto, por exemplo, não existe regra na hora de aplicar a iluminação artificial.

Claro que a assistência de um especialista pode ajudar para que a pessoa não cometa grandes erros nessa hora. Confira, a seguir, algumas soluções empregadas pelos profissionais.

Planejando a iluminação do quarto

Os arquitetos e designers de interiores já sabem que a iluminação ideal é capaz de mudar completamente um cômodo. Por exemplo, o quarto é o ambiente da casa onde as pessoas buscam descansar e relaxar.

Portanto, seu esquema de luz deve proporcionar aconchego e acolhimento. Do contrário, quem estiver no espaço pode se sentir desconfortável e ter sua saúde, humor e ciclo do sono prejudicados.

A iluminação também é capaz de destacar diversos pontos dos interiores, exercendo neles, inclusive, uma função decorativa. É através de um simples feixe de luz que muitas estratégias projetuais são evidenciadas. É pela luz que um importante componente estético é valorizado; que a sensação de conforto ambiental é reforçada; e o bom convívio entre as pessoas é incentivado. Tudo isso pela luz!

Aumentando a potência da luz

Muitas luminárias acesas fazem um quarto ficar bem iluminado. Ademais, existem algumas coisas que os projetistas fazem para potencializar essa iluminação. A primeira é tentar ampliar a entrada de luz natural nos interiores, instalando mais janelas e portas. Só que isso pode ser muito caro ou impossível, dependendo do sistema estrutural da edificação.

A resposta mais simples pode ser dada pela decoração. Ambientes pintados de cores claras parecem mais bem iluminados. Espelhos dão a impressão de que há mais profundidade no espaço, como também mais luz. E cortinas feitas em tecidos mais finos e translúcidos permitem controlar melhor a intensidade da claridade do sol.

Montando uma iluminação ideal

De todos os cômodos da casa, o quarto é, provavelmente, o mais difícil de ser iluminado. Antes que as pessoas saiam comprando muitas lâmpadas e luminárias, é importante que elas entendam que o esquema de luz deste tipo de ambiente precisa atender vários fatores.

Dentre eles, estão o seu gosto e suas necessidades. E ainda, antes disso, as características do espaço e a proposta do decorador.

Tem certas coisas que são fáceis de entender, logo de cara. Uma delas é que sempre se deve usar luz mais quente ou de temperatura branda em quartos.

A ideia é não causar um superaquecimento, ao ponto de fazer seus habitantes se sentirem incomodados. As lâmpadas amarelas são, visualmente, mais confortáveis. Mas, muitos modelos podem emitir um calor bem acima do desejado. Cuidado!

Outra coisa que faz as pessoas, geralmente, se sentirem muito mal, é ter uma iluminação incidindo diretamente sobre elas quando estão deitadas cama. Isso estaria errado.

A iluminação indireta é a mais indicada para quartos. Ela pode ser obtida através de lustres, pendentes, plafons e mais; feitos em vidros trabalhados, tecidos ou qualquer outro material que permita uma luz difusa.

A iluminação do tipo direta já serve para outros fins. Ela deve ser usada quando a pessoa deseja fazer uma leitura, ver TV ou se maquiar no quarto.

Nesse caso, é preciso luminárias diferentes, de acendimento prático e independente, mais próximo da cabeceira, criado-mudo, escrivaninha ou penteadeira.  São exemplos os abajures, arandelas, luminárias de coluna e luminárias articuladas.

Projetos mais atuais contam com soluções de iluminação ainda mais sofisticadas. Alguns contam com dimerizadores, que servem para controlar a intensidade da luz nos interiores, compondo cenários muito charmosos e intimistas.

Outros ainda possuem sancas e spots direcionados para algum móvel. E por fim, tem as fitas de LEDs, usadas para destacar painéis, nichos, cabeceiras, prateleiras e quadros.

Vantagens de dividir um apartamento

Nos últimos tempos, o número de pessoas que optam por dividir aluguel tem crescido bastante, principalmente pela divisão de tarefas e redução de gastos.
Se você está pensando em sair da casa dos pais, mas ainda está na dúvida se vale a pena dividir ou não um imóvel, veja algumas das vantagens que separamos para ajudar na sua escolha.

Economia
Uma das principais vantagens de dividir um apartamento com um amigo é que você irá economizar mais. Você poderá dividir os gastos com aluguel, luz, água, telefone, sem contar todas as outras despesas com manutenção de condomínio e supermercado.

Possibilidade de alugar um imóvel melhor
Já que você irá dividir o aluguel com alguém e terá menos despesas ao longo do mês, há a possibilidade de escolher um imóvel um pouco melhor, com mais espaço e mais confortável do que aquele que você alugaria se estivesse sozinho. Pense nessa possibilidade antes de se decidir!

Divisão de tarefas domésticas
Uma vantagem bastante interessante é poder dividir as tarefas de casa com alguém. Vocês podem fazer uma lista de afazeres e dividi-los por dias da semana. Assim ninguém fica sem fazer nada e a casa se mantém sempre limpa e organizada.

Companhia diária
Para quem sempre morou com os pais, ficar totalmente sozinho em uma casa pode parecer um pouco estranho. Por isso se você optar por dividir um apartamento terá sempre uma pessoa para conviver diariamente e não irá se sentir sozinho. Esse convívio será uma ótima oportunidade de se tornarem grandes amigos.

Morar sozinho: itens essenciais para ter em sua casa

Morar sozinho é a realização de um sonho e uma grande conquista, mas ao mesmo tempo uma fase de novas responsabilidades! Você irá passar por experiências incríveis e desafiadoras, como ter que escolher seu próprio imóvel, os móveis e ainda organizar as tarefas do dia a dia. A partir desse momento, todas as decisões serão somente suas, por isso ter um planejamento de início é muito importante.

Mas, por onde deve começar? De início, vale começar comprando os itens “básicos”de sobrevivência. Ou seja, aquilo que realmente não pode faltar no seu dia a dia. Vamos lá?

Geladeira

Pode ser que esse seja o item mais caro da sua lista, mas é de fato um dos mais importantes. Afinal de contas, você deve ter onde guardar seus alimentos. E você não precisa comprar uma geladeira enorme, tenha uma de pelo menos 200 litros ou até mesmo um frigobar que já será o suficiente.

Fogão

A quem prefira apenas um micro-ondas, mas saiba que ter um fogão é muito mais útil. A não ser que você não tenha o costume de cozinhar e vai consumir apenas alimentos congelados. Caso contrário o fogão é sim um item indispensável.

Se você é uma pessoa que prefere uma comida mais prática e leve, pode optar por um cooktop, que ocupa menos espaço. Agora, se pretende preparar carnes assadas ou bolos, escolha o fogão tradicional com forno embutido.

Máquina de lavar

Você pode até optar por ficar sem ela num primeiro momento, mas certamente irá mudar de ideia após alguns dias lavando roupas na mão. A máquina de lavar é rápida e prática e vai facilitar muito a sua rotina. Por isso, inclua ela na sua lista de itens essenciais.

Cama

Se você já tiver uma cama que possa levar na mudança, melhor, pois irá diminuir mais um gasto. Porem se for comprar, a dica é optar por uma cama box com baú em baixo, assim você pode aproveitar o espaço para guardar roupa de cama, livros ou outras coisas de sua preferência.

Obviamente ao longo dos meses você irá começar a sentir falta de outros eletrônicos ou móveis em sua casa, mas com esses itens você já consegue dar os primeiros passos. E aos poucos, conforme for sua rotina e seu orçamento começará a sua casa do seu jeito.

Comprar apartamento na planta: 7 vantagens de investir

Existem vários fatores que ressaltam os benefícios de comprar pronto, mas também várias razões pelas quais comprar um apartamento na planta é vantajoso – dos ganhos financeiros à tranquilidade. Quer saber qual mais se enquadra para a sua vida? Confira nesse artigo.

Comprar apartamento na planta: vantagens sobre o imóvel pronto

1. Imóvel novinho em folha

Para comprar um apartamento na planta, terá que ter tempo e paciência para esperar a obra terminar, mas se você fechar um investimento com uma empresa idônea é garantia de que terá um imóvel novo para investir como desejar.

Por ser uma propriedade nova, não haverá necessidade de manutenção em um futuro imediato. É raro que a compra de um apartamento não exija, pelo menos, algum trabalho de finalização como a instalação de detalhes finais que por ventura não sejam cobertos pela construtora.

Mas exceto esses detalhes em relação ao acabamento, comprar na planta significa que tudo é novo, não apenas a propriedade em si, mas tudo está pronto para ser usado.

Além da manutenção, comprar um apartamento na planta significa que você não precisará redecorar, outra grande economia.

Como a maioria das construtoras oferecem uma variedade de esquemas de cores internas, você terá uma casa nova decorada exatamente como deseja.

Dando a opção do seu futuro inquilino fazer as alterações que preferir, especificando as condições de entrega como originalmente estabelecida no contrato de locação.

Por outro lado comprar um imóvel pronto significa conseguir colocá-lo no mercado mais rápido. Neste ponto é preciso analisar qual é a sua prioridade como comprador.

2. Tempo para economizar

O fato de você poder planejar todo o pagamento do imóvel é uma das maiores vantagens financeiras de comprar um apartamento na planta.

Geralmente, com base na variação do Índice Nacional de Construção Civil (INCC), o comprador quita 30% do valor do imóvel na fase de construção. Após a entrega das chaves, os 70% restantes podem ser parcelados.

Você tem bastante tempo (o tempo que leva para a construtora concluir a construção) para planejar um financiamento ou investimento que lhe renda mensalmente a quantia para pagar suas parcelas futuras. Diminuindo as chances de ficar inadimplente.

Para empreendimentos maiores, esse tempo pode ser de até um ano ou mais. Se você planejar para isso, poderá economizar uma quantia significativa antes da conclusão da obra, reduzindo a quantia a ser emprestada.

Tudo isso é uma coisa boa para o seu planejamento financeiro pessoal.

3. Pagar mais barato

Além do tempo para se planejar, comprar um apartamento na planta por si só é mais barato do que comprar pronto.

Como o imóvel será recebido no futuro, você ganha poder de negociação com a construtora e boas condições de financiamento.

No cenário atual ainda em crise, as construtoras estão em busca de clientes potenciais e flexibilizam as ofertas para atrair compradores.

4. Potencial de valorização

Essa é outra grande vantagem de comprar um apartamento na planta, o potencial de valorização do imóvel depois de pronto.

Pense: você negocia mais barato a compra ainda na fase de construção e ao final ganha um patrimônio que pode lhe render até 50% a mais do que valor investido.

Por isso, o processo de escolha do imóvel deve ser criterioso. Se você deseja obter um retorno significativo, analise as tendências do mercado, o local da construção, a estrutura do imóvel, a região ao redor.

Todos esses detalhes contribuem para valorizar o apartamento depois de concluída a obra.

5. Personalização do acabamento

Outro ponto que sobre comprar um apartamento na planta é poder personalizar o acabamento. Mais um fator que também agrega valor ao seu imóvel.

Você pode adicionar itens premium ao acabamento para valorizar seu apartamento nos pequenos detalhes. Claro, é importante seguir a proposta do empreendimento e adequar os detalhes a esse estilo.

Um apartamento de luxo pede um tipo de personalização, já um apartamento mais econômico pede outros detalhes que vão valorizá-lo.

Muitas vezes, ao comprar um apartamento pronto é preciso gastar com reforma para atualizar o estilo do apartamento e trocar itens de acabamento, o que pode custar bem mais caro.

6. Processo de compra seguro

Comprar apartamento na planta envolve uma promessa de compra e venda e segue toda burocracia necessária para garantir a segurança tanto do comprador quanto da construtora.

Já para um imóvel pronto, o processo burocrático pode ser mais complexo. É necessário checar todos os registros e certidões (que devem estar negativas), se o imóvel está disponível legalmente para venda (fora de inventários), se há impostos em atraso etc.

Esse processo de checagem de documentação toma um tempo considerável de toda negociação.

7. Construir um patrimônio duradouro

Comprar um apartamento na planta é um investimento para a vida que pode ser deixado para seus filhos e até mesmo para seus netos como patrimônio.

Escolher um bom empreendimento e uma construtora séria do mercado garantirá que o dinheiro que você está investindo hoje dê frutos por muito tempo.

Projetos que valorizam aspectos de sustentabilidade, por exemplo, são ótimas opções para comprar na planta, pois a tendência é que esse requisito seja cada vez mais valorizado. E não apenas pelo apartamento em si, mas o restante do terreno onde todas as áreas comuns são criadas.

Decorando quartos infantis: dicas infalíveis

A tarefa de montar um quarto para uma criança, embora seja divertido, é bem complicada, para ambos os sexos. Mas, separamos algumas dicas para te ajudar na hora de planejar a decoração.

Antes de começar a decorar o ambiente, se o seu filho (a) já fala como gostaria, você deve conversar para colocar todos esses gostos em um papel.

Decorando um berçário:

Um quarto para recém-nascido é aconselhável que planeje um ambiente que se adapte enquanto a criança cresce. Por exemplo, papéis de paredes são mais fáceis de atualizar do que tintas. Ao instalar o berço e os armários, lembre-se que no futuro esse moveis podem ser movimentados, ou substituídos.

Decorando um quarto infantil:

Em um quarto para criança, é importante focar na criação de um cenário ideal para estimular a criatividade e potencial dessa criança. É importante adicionar itens de interesse, tais como papel de parede temático, luzes temáticas, etc.

Para uma menina, rosa e roxo podem ser suas cores favoritas. Utilize as cores favoritas em uma composição, tais como cama com uma cabeceira alta, com véu no topo, e uma estante de livros em sintonia com um tema de contos de fadas. Desta forma, o quarto não será somente um lugar para dormir, será um lugar que essa criança entra no seu mundo magico.

Já para meninos é importante eleger um tema de acordo com os gostos, mas que seja adaptável as diferentes fases de crescimento.

Como transformar um quarto de criança para jovem:

Com o passar dos anos, aquele quarto todo rosa ou todo azul, não se torna mais o interesse da criança, que passa a ser adolescente. Se o quarto é grande, um adolescente irá gostar de ter sua cama de solteiro trocada por uma de casal. Renove as paredes, adicionando cores neutras ou trocando para papeis de parede. Brinquedos e livros antigos também devem ser deixados (de) lado, já que não fazem mais parte do dia a dia. Com a evolução dos estudos, talvez seja necessária a ampliação da escrivaninha e a instalação de novas estantes para armazenar livros.

Forro de gesso: Saiba o porquê utilizá-lo

Devido a sua praticidade, beleza e a possibilidade de disfarçar imperfeições, rebaixar, embutir iluminações, colocar a cortina no teto ou passar eletrodutos, fios e instalações hidráulicas necessárias, o forro de gesso é uma das opções mais utilizadas em projetos,

Os forros de gesso, além disso, deixam os ambientes mais bonitos e conferem um visual mais elegante para a casa. Na decoração, o gesso permite ousar na criatividade, criando diferentes níveis na parede e separando os ambientes, deixando assim o cômodo com uma cara mais moderna.

Vantagens

Uma das principais vantagens de utilizar o gesso em um ambiente é a possibilidade de embutir a iluminação, permitindo utilizar luz em qualquer lugar, sem a necessidade de quebrar a parede.

Outra vantagem é a sua praticidade de instalação, cuja a montagem é rápida e prática.

Gesso tradicional ou drywall?

Os tipos de gesso usados em projetos de decoração são o gesso tradicional e o drywall. Os dois tem origem do mesmo material, porem são instalados de forma bem diferentes. O forro de gesso tradicional é fornecido em placas, que são presas umas nas outras e no teto com arames. Já o drywall, é uma estrutura feita com perfis metálicos e parafusados, que são fixados no teto e recebem um fechamento com placas.

O forro de gesso tradicional é o mais conhecido, mas sua instalação demanda mais tempo e faz mais sujeira que o drywall, porem costuma ser até 50% mais barato que o drywall.

Apesar de ser mais caro, o drywall é a opção que oferece melhor custo-benefício, isso porque a sua instalação é rápida, não gera tanta sujeira e não sofre dilatação, podendo ser instalado em qualquer tipo de ambiente.