Descubra como escolher o colchão ideal para você

Dormir bem é uma das maiores alegrias da vida, não é mesmo? O corpo humano é uma máquina biológica perfeita! Porém, ele precisa ser recarregado de vez em quando ou pode entrar em colapso.

O sono é uma das formas de adquirir mais energia! Acontece que dormir nem sempre significa descansar. Mas escolher colchões corretamente evita que se tenham noites mal dormidas, além de dores no corpo e problemas de coluna!

Antigamente, os colchões não eram tão confortáveis, fofos e resistentes. Eles eram feitos com materiais que se tinha disponível, como restos de vegetação, de crina de animal e mais.

Só que, com o tempo, as novas tecnologias ajudaram as pessoas a criarem modelos que melhor se adaptam ao corpo humano – em especial à sua coluna. Assim, surgiram os colchões de mola, de espuma e tantos outros. Veja a seguir!

Tipos de colchões disponíveis no mercado

Atualmente, em síntese, existem dois tipos de colchões a venda nas lojas. O colchão comum é aquele velho conhecido do consumidor, próprio para ser depositado sobre uma base de estrado.

Mas também há as camas box, que são a mais recente sensação do mercado. Para os dois casos, a pessoa precisa estar atenta quanto às dimensões, à qualidade do material de fabricação e à durabilidade da peça.

São medidas comuns usuais para colchões:

  • solteiro = 78 ou 88 cm de largura e 1,88 m de comprimento.
  • casal = 1,28m ou 1,38m de largura por 1,88m de comprimento; 1,58 m de largura por 1,98 m de comprimento; 1,93 m de largura e 2,03 m de comprimento.

Falando mais especificamente da fabricação de colchões, existe vários processos diferentes. Os tipos de colchões mais requisitados são os com molas; eles têm boas estruturas, ótima ventilação interna e durabilidade.

Agora, os que apresentam o sistema “pocket” – com molas ensacadas – e “pillow top” – com espuma extra – são ainda mais confortáveis – ótima opção para pessoas muito altas, pesadas e casais.

Existem ainda modelos de colchões mais simples e mais sofisticados também. Os comuns, em espuma – bastante requisitados -, são baratos, mas apresentam boa elasticidade e firmeza dependendo da densidade; contudo, se deformam rapidamente.

Em substituição, a promessa do mercado é o  viscoelástico, material desenvolvido pela NASA e que se adequa melhor à coluna.

Os tais “colchões ortopédicos” são difíceis de serem encontrados nas lojas. Eles são produzidos com gel e espuma viscoelástica. São bem firmes – o que não é o mesmo que dizer que são “duros”. E aplicam certa pressão sobre o corpo da pessoa enquanto ela dorme – deixando, assim, sua coluna alinhada. Só que não são recomendados para qualquer pessoa.

Como escolher o modelo certo de colchão

Saber escolher o colchão certo vale tanto pela questão da adequação quanto à decoração do quarto quanto à coluna da pessoa.

Primeiro é importante destacar que o modelo certo é aquele proporcional à sua base, ou seja, que não fica nem maior e nem menor que o limite da borda da cama. O ideal é a peça seja 3 cm menor de largura e 3 cm menor de comprimento em relação ao móvel.

Outra coisa que deve ser levada em conta como critério de escolha do colchão é a densidade, melhor dizendo, a firmeza e sustentabilidade para o corpo. Quanto de conforto que se quer ter?

Uma regra aplicada para colchões de casal é escolher a peça que seja compatível com a pessoa mais pesada. Por exemplo, pessoas com 50 kg e 1,50 m de altura indica-se a densidade D23, já pessoas com 150 kg e 1,90 m um de D40.

Gostaram das nossas dicas? Agora dá para escolher o melhor colchão para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *