Como encontrar a iluminação certa para o seu quarto

A iluminação é um dos fatores muito importantes na hora de decorar o quarto. Por isso, separamos algumas dicas para você acertar de mão cheia!

A importância da iluminação

No passado, as residências eram projetadas para ter interiores abundantemente cheios de luz. Agora, muitas construtoras preferem colocar outras questões de projeto antes da iluminação de ambientes – com exceção das propostas sustentáveis. Por consequência, os cômodos das casas modernas recebem menos os raios do sol.

A vantagem da luz natural para a arquitetura e design de interiores é que ela faz os ambientes parecerem mais amplos, limpos e claros. Devido a isso, há uma maior economia de energia elétrica e um aumento da qualidade de vida das pessoas.

Portanto, esse tipo de iluminação sempre deveria se fazer presente, não importa o tamanho da casa. Só que, às vezes, nem isso é o bastante.

Em alguns casos a luz ambiente é impossível. Nesse caso, entra em cena a luz elétrica. Em um ambiente mais íntimo, como um quarto, por exemplo, não existe regra na hora de aplicar a iluminação artificial.

Claro que a assistência de um especialista pode ajudar para que a pessoa não cometa grandes erros nessa hora. Confira, a seguir, algumas soluções empregadas pelos profissionais.

Planejando a iluminação do quarto

Os arquitetos e designers de interiores já sabem que a iluminação ideal é capaz de mudar completamente um cômodo. Por exemplo, o quarto é o ambiente da casa onde as pessoas buscam descansar e relaxar.

Portanto, seu esquema de luz deve proporcionar aconchego e acolhimento. Do contrário, quem estiver no espaço pode se sentir desconfortável e ter sua saúde, humor e ciclo do sono prejudicados.

A iluminação também é capaz de destacar diversos pontos dos interiores, exercendo neles, inclusive, uma função decorativa. É através de um simples feixe de luz que muitas estratégias projetuais são evidenciadas. É pela luz que um importante componente estético é valorizado; que a sensação de conforto ambiental é reforçada; e o bom convívio entre as pessoas é incentivado. Tudo isso pela luz!

Aumentando a potência da luz

Muitas luminárias acesas fazem um quarto ficar bem iluminado. Ademais, existem algumas coisas que os projetistas fazem para potencializar essa iluminação. A primeira é tentar ampliar a entrada de luz natural nos interiores, instalando mais janelas e portas. Só que isso pode ser muito caro ou impossível, dependendo do sistema estrutural da edificação.

A resposta mais simples pode ser dada pela decoração. Ambientes pintados de cores claras parecem mais bem iluminados. Espelhos dão a impressão de que há mais profundidade no espaço, como também mais luz. E cortinas feitas em tecidos mais finos e translúcidos permitem controlar melhor a intensidade da claridade do sol.

Montando uma iluminação ideal

De todos os cômodos da casa, o quarto é, provavelmente, o mais difícil de ser iluminado. Antes que as pessoas saiam comprando muitas lâmpadas e luminárias, é importante que elas entendam que o esquema de luz deste tipo de ambiente precisa atender vários fatores.

Dentre eles, estão o seu gosto e suas necessidades. E ainda, antes disso, as características do espaço e a proposta do decorador.

Tem certas coisas que são fáceis de entender, logo de cara. Uma delas é que sempre se deve usar luz mais quente ou de temperatura branda em quartos.

A ideia é não causar um superaquecimento, ao ponto de fazer seus habitantes se sentirem incomodados. As lâmpadas amarelas são, visualmente, mais confortáveis. Mas, muitos modelos podem emitir um calor bem acima do desejado. Cuidado!

Outra coisa que faz as pessoas, geralmente, se sentirem muito mal, é ter uma iluminação incidindo diretamente sobre elas quando estão deitadas cama. Isso estaria errado.

A iluminação indireta é a mais indicada para quartos. Ela pode ser obtida através de lustres, pendentes, plafons e mais; feitos em vidros trabalhados, tecidos ou qualquer outro material que permita uma luz difusa.

A iluminação do tipo direta já serve para outros fins. Ela deve ser usada quando a pessoa deseja fazer uma leitura, ver TV ou se maquiar no quarto.

Nesse caso, é preciso luminárias diferentes, de acendimento prático e independente, mais próximo da cabeceira, criado-mudo, escrivaninha ou penteadeira.  São exemplos os abajures, arandelas, luminárias de coluna e luminárias articuladas.

Projetos mais atuais contam com soluções de iluminação ainda mais sofisticadas. Alguns contam com dimerizadores, que servem para controlar a intensidade da luz nos interiores, compondo cenários muito charmosos e intimistas.

Outros ainda possuem sancas e spots direcionados para algum móvel. E por fim, tem as fitas de LEDs, usadas para destacar painéis, nichos, cabeceiras, prateleiras e quadros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *