6 dicas de como avaliar um imóvel antes de comprar

É fundamental saber como avaliar para concluir se o preço de venda é coerente com o mercado imobiliário. E para tirar todas as suas dúvidas, separamos alguns temas:

Considere estes pontos na avaliação:

  • localização
  • preço médio do metro quadrado na região
  • a quantidade de imóveis em oferta no entorno (que pode indicar ou não um aquecimento do mercado)
  • se o imóvel é residencial ou comercial
  • o estado de conservação
  • a idade do imóvel usado

Porém, a avaliação do imóvel pode variar em alguns pontos, de acordo com as preferências de quem vai comprar. Uma pessoa pode não querer morar próximo a praças, por exemplo, por não gostar de barulho. Então, certamente ele não dará tanto valor a um imóvel que se enquadre nessa condição. Para famílias com crianças, em contrapartida, a proximidade a praças pode valorizaria a propriedade.

Pesquise preços de imóveis similares

Buscar quanto custam imóveis semelhantes na mesma rua ou em endereços próximos facilita para ter uma ideia do bem que pretende comprar. Melhor ainda se encontrar apartamentos à venda no mesmo edifício.

Sites com anúncios de imóveis são fontes de consulta. Verifique as ofertas de propriedades do mesmo tamanho, com idade e padrão arquitetônico aproximado.

Peça a planta do apartamento

Caso o proprietário não tenha, é possível conseguir na administração do prédio, com o síndico ou zelador. Esse papel será importante para conferir as medidas e checar se as paredes são estruturais, aquelas que suportam a construção e não devem ser derrubadas, ou se são de alvenaria comum, que podem ser tiradas para aumentar um cômodo ou fazer uma cozinha americana, por exemplo. Poder ou não modificar uma planta também influencia no preço.

Vale a pena comprar um imóvel antigo?

Se o imóvel não é novo, há pontos a mais que devem ser observados:

  • rachaduras profundas e superficiais
  • infiltrações
  • mofo nas paredes
  • a quantidade de tomadas e o quadro de luz
  • registros de água, que não devem vazar
  • pias e pedras das áreas molhadas
  • se janelas e portas abrem e fecham facilmente
  • se não há pó de madeira embaixo dos móveis, que podem indicar a presença de cupim

Também é preciso colocar na conta final do imóvel o que precisará substituir, antes de morar. Alguns exemplos: vidros das janelas, portas, maçanetas, piso, metais e louças de banheiro, box e quadro de luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *